Presidente da COORPNOVA cobra incentivos a recicladores e diz estar angustiada

0
200

Geralda destacou a falta de apoio que os catadores vêm enfrentando e pediu aos vereadores mais atenção em relação às leis de incentivo

A presidente da Cooperativa dos Recicladores de Ponte Nova (COORPNOVA), Geralda Loredo de Paula (Ada), participou da Tribuna Livre da reunião ordinária da última quinta-feira (22). O assunto abordado foi à legislação municipal de incentivo às cooperativas e associações de catadores legalmente constituídas.


“Venho falar um pouco da angustia que nos dá em saber que tem tanta lei que protege o catador, mas não são cumpridas. Por várias vezes nós viemos a essa casa pedir ajuda aos vereadores para que prestassem mais atenção nessas leis, porque a cooperativa não luta só por ela, é um trabalho também que nós fazemos de graça, porque era para o Poder Público estar fazendo”, ressaltou Geralda na tribuna.

A presidente disse também que o trabalho dos catadores não é fácil e é prejudicado pela falta de consciência da população. “Quando tem um lugar aqui em Ponte Nova que as pessoas têm conscientização, não há lugar para entregar [o material]. O Poder Público nos prometeu um galpão, mas promessas são promessas e com o tempo essa foi esquecida”, lembrou.

O veto ao Projeto de Lei (PL) que viabilizaria o recolhimento de garrafas PET foi lamentado pela presidente. “Como Ponte Nova não tem a consciência de coleta seletiva, o que está nos mantendo é a fábrica de vassouras. Ainda tem pessoas que falam para os catadores procurarem um emprego, porque a cooperativa não vai dar futuro”, disse. Para a presidente, o Poder Público, de forma geral, não tem apoiado os catadores.

Geralda destacou que a cooperativa tem projetos e recebe apoio de empresários e empresas do município e que por isso é uma instituição que merece respeito, principalmente por realizar “um trabalho sócio transformador”.

Os vereadores aproveitaram a presença da presidente da COORPNOVA para parabenizar a cooperativa pelo trabalho realizado no município. Eles também tiraram dúvidas sobre a instituição.

A presidente da Mesa Diretora, a vereadora Aninha de Fizica (PSB), disse que a associação poderá contar com apoio jurídico da Câmara. Ela também propôs uma reunião conjunta com o setor de assistência social da Prefeitura, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a Câmara e a COORPNOVA para tratar dos incentivos aos catadores.