SEMSA comunica um óbito por leptospirose no município de Ponte Nova e faz alerta

0
1796

Diante da confirmação laboratorial de um óbito por Leptospirose, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) alerta a população sobre os riscos da doença e orienta sobre os sintomas, transmissão, prevenção e tratamento.

Sintomas


Os sintomas da Leptospirose são parecidos com os sintomas de outras doenças como gripe, febre amarela, dengue, malária, hantavirose e hepatites. Os principais são: febre alta, dor de cabeça forte, calafrio, vômito, diarreia e dor muscular, principalmente nas panturrilhas. Em 10% dos casos, pode ocorrer a forma grave da doença, com o aparecimento de icterícia (coloração amarelada da pele e das mucosas) por insuficiência hepática, manifestações hemorrágicas (equimoses, sangramentos em nariz, gengivas e pulmões) e comprometimento dos rins.
Os primeiros sintomas aparecem de 2 (dois) a trinta (30) dias depois do contato com a contaminação. A evolução para o coma e a morte pode ocorrer em cerca de 10% das formas graves. Uma vez que a doença não seja tratada, pode acarretar sérios riscos, agravando futuramente e podendo afetar grandes órgãos vitais como rins e causar até meningite e problemas respiratórios.

Transmissão

A transmissão ocorre, principalmente, através do contato com a água ou lama de enchentes contaminadas com urina de animais portadores, sobretudo os ratos. A penetração da Leptospira no corpo, através da pele, é facilitada pela presença de algum ferimento ou arranhão. Também pode ser transmitida por ingestão de água ou alimentos contaminados.

Prevenção

Evitar o contato com água ou lama que possam estar contaminados pela urina de rato. Pessoas que trabalham na limpeza de lama, entulhos e desentupimento de esgoto devem usar botas e luvas de borracha. Medidas ligadas ao meio ambiente, tais como o controle de roedores, obras de saneamento básico (abastecimento de água, lixo e esgoto) e melhorias nas habitações humanas também ajudam na prevenção.

Tratamento

Quanto antes for iniciado o tratamento da leptospirose, maior será a chance de evitar a evolução para quadros mais graves da doença, que sempre requer internação hospitalar. Em casos mais raros, a leptospirose pode levar a morte, devido ao não cuidado e não tratamento da doença. Além disso, o diagnóstico tardio também pode fazer com que os sintomas se agravem, levando o portador à morte, pois a leptospirose pode ser confundida com outra doença, já que seus sintomas são bem comuns.
A conduta inclui cuidados com a hidratação, uso de antibióticos e de medicamentos para aliviar os sintomas. No entanto, devem ser evitados aqueles que contêm ácido acetilsalicílico, porque aumentam o risco de sangramentos.