Empresário explica preço de combustíveis em Ponte Nova

0
1091

Na Tribuna Livre da reunião de 30 de maio, o empresário Adilson Bombassaro, proprietário de posto de gasolina no município, abordou sobre o preço de combustíveis em Ponte Nova. Em atendimento à solicitação do vereador Montanha (MDB) que requereu ao Executivo, no mês de março, informações do procedimento administrativo do Procon destinado a apurar a existência de eventuais irregularidades, Adilson explicou a complexidade da precificação das refinarias ao destino final.

Muito se questiona sobre os preços em postos da região estarem abaixo dos cobrados em Ponte Nova. Como informou o Executivo, o Procon não regula os valores de revenda dos combustíveis. “A composição de preços não é igual em todo o país. A cadeia de distribuição também é diferente. De Ponte Nova em direção a Belo Horizonte, a base é Betim. De Juiz de Fora para lá, a base é Rio de Janeiro”, explicou Adilson, apontando diferenças de preços na própria refinaria da Petrobrás, entre a base do Rio de Janeiro (Duque de Caxias) e a de Betim (MG), assim como, no interior do país em relação à capitais e entre pequenas e grandes redes de postos.


Entre outros pontos, Adilson Bombassaro explicou a influência da variação cambial (dólar), do preço do barril de petróleo (internacional) e dos custos da produção, sendo estas revisões diárias desde julho de 2017. Tributos e margens de comercialização são também alguns dos componentes do preço final ao consumidor.

O empresário ressaltou ainda que os preços são obrigatoriamente expostos na forma Lei e que o próprio consumidor cobra a paridade nos postos e que esta, muitas das vezes, é confundida com a formação de cartel. “Cartel é um ato criminoso em que as pessoas combinam ou desencadeiam ações para burlar a sociedade”, destacou Adilson, citando que a paridade é legal e adotada pela maioria dos postos no país.

O mercado da gasolina no Brasil é regulamentado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) e pela Lei Federal nº 9.478/97 (Lei do Petróleo).