PM liberta pai e filho sequestrados e prende sete pessoas em Manhuaçu e Manhumirim

0
935

A Polícia Militar prendeu quatro pessoas e apreendeu três menores envolvidos num sequestro de dois moradores de Nova Venécia (ES) que vieram comprar um trator em Reduto. Além de apreender crack em Manhumirim, a PM também identificou outros envolvidos, recuperou o caminhão e libertaram as duas vítimas.

As vítimas saíram de Nova Venécia para efetuar negociação e acabaram sequestradas e mantidas em cárcere privado em Manhumirim.  “Pai e filho encontraram um anúncio, em uma rede social, de uma venda de um trator. Fizeram contato com esta pessoa, que os aguardou na cidade de Reduto e os levou para uma emboscada – ou seja, os conduziu para serem roubados e mantidos em cárcere.”, explicou o capitão da PM, Fernando Gonçalves.


Na última quinta-feira (16/05), a Polícia Militar do Espírito Santo compartilhou informações com militares do 11º BPM de Manhuaçu, de que fazendeiros teriam saído da cidade de Nova Venécia (ES) num caminhão F350 para adquirir um trator em Reduto (MG).

Com base em informações, uma equipe da PM recebeu denúncia de que um menor infrator (já conhecido do meio policial) estava trafegando em um veículo F350 nas imediações de um posto de combustíveis. O fato gerou suspeita e a equipe consultou – no sistema informatizado – dados das placas do veículo (de propriedade das vítimas).

“Nós diligenciamos, conseguimos localizar, primeiro, o menor, que estava com a chave do veículo no bolso. Posteriormente, nós encontramos o veículo das vítimas, no bairro Santana, na cidade de Manhuaçu, e, a partir daí, começamos a realizar os levantamentos para saber do paradeiro das vítimas.”

Em prosseguimento aos trabalhos, outro adolescente foi apreendido. Nem ele nem o menor que estava com as chaves do veículo quiseram colaborar e dizer onde estariam o homem de 63 anos e o jovem de 22 anos (pai e filho que saíram da cidade capixaba).

“Diante disso, passamos a fazer contato com os familiares do Espírito Santo e chegamos a conclusão de que se tratava de um sequestro com cárcere privado – sendo que os autores estariam aguardando um depósito em dinheiro para liberar as vítimas.”

De acordo com capitão Fernando, o depósito (no valor de R$ 98 mil) chegou a ser feito, porém, por um erro dos próprios autores, foi estornado (ou seja, a transação não foi concluída).

“Com o passar do tempo nós fomos recebendo mais informações e chegamos a outros autores, em Manhumirim. As vítimas, nesse intento, foram liberadas, uma vez que os criminosos tomaram conhecimento de que os menores já haviam sido apreendidos.”

O cativeiro ficava na rodovia MG-111, contorno de Manhumirim, saída para Alto Jequitibá.

Uma das vítimas, o filho de 22 anos, contou detalhes de quando eram mantidas em cativeiro: “Se levantasse a cabeça, falasse alguma coisa, ficasse de conversinha: falava que ia bater. Dizia que se não passasse a senha do cartão: cortaria dedo. Tanto que até bateram na gente, deram umas coronhadas. Na hora que a gente viu a polícia foi um alívio”, detalhou o oficial.

Foram apreendidos também um aparelho celular, R$369,75, roupas diversas. Em Manhumirim, na casa de um dos menores envolvidos, foram recolhidas 115 pedras menores de crack, uma balança de precisão e uma pedra maior da mesma droga.

Dos oito autores identificados, sete foram localizados, dentre os quais três menores. Eles foram conduzidos para a Delegacia de Polícia Civil em Manhuaçu.

Portal Caparaó