“No horário de pico cadê o DMUTRAN?”, pergunta vereador

0
441

O vereador Montanha (MDB) comentou, na Palavra Livre da reunião plenária de 10 de dezembro, resposta a sua indicação protocolada ao Departamento Municipal de Trânsito (Demutran) a qual requereu informações da quantidade de equipamentos necessários para atender a situações emergenciais, citando o fato ocorrido no dia 20/11, quando a colisão de um caminhão contra um poste na rua Felisberto Leopoldo, bairro Santa Teresa, provocou corte de energia e gerou engarrafamento no eixo Centro/Palmeiras e na saída/chegada para BR 120, assim como os  critérios utilizados para estabelecer as escalas dos agentes (número de profissionais por local e quais situações são vistas como prioritárias).

Apesar de o Departamento informar que dispõe dos equipamentos e de pessoal necessário para atender eventos emergenciais, Montanha considerou a resposta evasiva. “O Plano de Mobilidade Urbana vai sair, mas as pessoas reclamam. No horário de pico, cadê o Demutran?”, questionou, chamando a atenção para falta de apitos para organizar o trânsito e de agentes trabalhando com guarda-chuvas ao invés de capas protetoras.


O Demutran ainda informou que, no dia 20/11, outros três incidentes foram registrados num curto espaço de tempo e na hora do almoço de alguns agentes de trânsito, mas que, mesmo assim, se fez presente nos locais.

Com relação aos critérios utilizados para estabelecer escalas, o Departamento trabalha com escalas fixas e móveis. As fixas são estabelecidas de acordo com a intensidade de circulação de veículos e pedestres e, as móveis, cobrem áreas onde não há fiscalização fixa e atendem solicitações e boletins de ocorrências.