Para vereadores atendimento da prefeitura está “muito devagar”

0
437

Assim como os vereadores Aninha de Fizica (PSB) e Machadinho (AVANTE), o vereador Antônio Carlos Pracatá (PSD) comentou na Palavra Livre de 15 de fevereiro sobre os constantes atrasos nos atendimentos no saguão da Prefeitura o que tem sido motivo de reclamações. “Está tendo uma demora muito grande e acreditamos que seja falta de funcionários. As pessoas têm pedido o ITBI e o mesmo leva até um mês para ser liberado. A gente vê em Viçosa e Ubá que é entregue na hora ao cliente”, disse Pracatá, lembrando sua indicação referente ao Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) feita em novembro do ano passado.

Na ocasião, Pracatá salientou que pessoas que trabalham no ramo imobiliário o questionaram sobre o prazo de 30 dias que a Prefeitura estava pedindo para liberar o documento. O ITBI é um tributo municipal que deve ser pago na aquisição do imóvel e a oficialização do processo de compra e venda só será feita após o pagamento desse imposto.


Por meio de indicação, a vereadora Aninha de Fizica solicitou ao Executivo se há possibilidade de realocar um servidor para atender a população quanto ao pagamento das taxas municipais a fim de agilizar os atendimentos.

Pracatá também ressaltou a demora no atendimento da Cemig onde os clientes têm que aguardar até uma hora. “As alegações são sempre as mesmas: o sistema está lento tem que aguardar”, explicou o vereador cobrando mais agilidade.

Quanto à constante falta de energia no bairro de Fátima e na área rural, Pracatá ressaltou que, no ano passado esteve na Cemig para levar as demandas da Jornada de Debates ocorrida em abril do ano passado sobre a prestação dos serviços no município e região. Dessa reunião, ficou de ser enviado um cronograma de execução dos serviços, sendo este fundamental para o acompanhamento das ações da Companhia na região.

O vereador Pracatá ainda comentou a situação da lama que se acumula na rua Edson Nogueira Gomes com rua José Godoi até o campinho do bairro de Fátima. No ano passado, a pedido seu e dos vereadores Hermano (PT) e Leo Moreira (PSB), a secretaria municipal de Obras (Semob) fez uma intervenção pontual para minimizar o problema que, como mostrou o vereador Hermano, por meio de fotos, na sessão plenária de 15 de fevereiro, persiste.