Pontenovense Andre Luiz é destaque na imprensa nacional, protesto solitário em Brasília

0
593
WJVOTACAO5 - BRASILIA DF - 02/08/2017 - TEMER/VOTAÇÃO - ESPORTES OE - A Câmara inicia hoje a sessão que vai analisar a denúncia por corrupção passiva contra Michel Temer, o primeiro presidente da República a ser alvo de acusação formal por um crime comum durante o exercício do mandato. Se houver quórum mínimo (342 presentes), os deputados votam por aceitar ou rejeitar o prosseguimento da denúncia. Para o Supremo Tribunal Federal julgar a acusação da Procuradoria-Geral da República é necessário o aval da Câmara. Em caso de aceitação da denúncia pela Corte, o presidente é afastado por até 180 dias. Na foto, o manifestante André Rhouglas de 56 anos, morador de Ponte Nova - MG está em Brasília desde segunda feira dia 30/07/2017. Rhouglas pretende ficar até o final da votação. FOTO: WILTON JUNIOR/ESTADAO

Na Esplanada e contra Temer, apenas manifestante solitário está presente nesta tarde

No último sábado, o mineiro de 56 anos deixou a casa e os filhos e se enfiou num ônibus na rodoviária de Ponte Nova (MG), a 190 quilômetros de Belo Horizonte. Foram 15 horas de viagem e 910 quilômetros, até chegar ao Planalto Central. Trouxe uma mochila com roupas, água, algum dinheiro e uma faixa de protesto contra o Congresso e o governo de Michel Temer.


André Rhouglas, 56, era o único manifestante na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Morador de Ponte Nova (MG), está na capital federal desde segunda-feira, dia 30. A Câmara inicia hoje a sessão que vai analisar a denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer.

Nesta quarta-feira, 2, dia em que o parlamento vota a denúncia contra Temer, Rhouglas esperava uma multidão no gramado do Congresso Nacional. Encontrou a grama seca e um vazio absoluto da Esplanada. Nenhum outro manifestante sequer. “É uma frustração muito grande”, diz ele. “Brigamos tanto em 2013 por causa de 20 centavos. Hoje não mexemos nem um dedo por centenas de bilhões que são roubados todos os dias. Ficamos parados no sofá, olhando tudo e reclamando, sem fazer nada”.

Pedreiro, garçom, pintor e desenhista de faixas, Rhouglas trouxe consigo uma cruz de madeira, para simbolizar “o sacrifício do povo brasileiro”. Na última noite, conseguiu colocar o objeto na laje do Congresso, ao lado da grande cuia que cobre o Senado Federal. “Confiscaram minha cruz, quebraram ela, mas não vou embora. Viajei até aqui para protestar”, diz André Rhouglas, indignado.

Esta notícia saiu em vários sites e jornais do Brasil.