Priscilla Porto: Como nossos pais?

0
114

Deixando de lado a rebeldia tradicional de filhos contra os pais, gostaria de escrever sobre outro aspecto desta desigual relação.

Sonhos de cada pessoa são diferentes e algumas delas sonham em encontrar o “alguém especial”, casar e ter filhos – formar uma família. Sonhos que, às vezes podem parecer simples, mas que podem exigir – na realidade – um grande esforço. Isto porque, muitas vezes, filhos não sonham junto com os pais.


Não é difícil constatar a dificuldade que temos de perceber que nossos pais não foram sempre o “Senhor José” ou a “Senhora Maria” que só conhecemos adultos, sérios e preocupados em estruturar bem a família – mantendo o sonho desejado real, em uma difícil e dura realidade.

Não é difícil constatar a dificuldade que temos de perceber que aqueles adultos centrados e responsáveis, já foram como nós: cheios de dúvidas, ansiedades e sonhos. Foram crianças já e, também, já pularam o muro da escola para ir andar de bicicleta. Foram adolescentes já e, também, já quiseram dormir na casa da melhor amiga para poder encontrar escondido com o primeiro namorado. Já foram “pré-adultos” e – com medo arrebatador da realidade – também quiseram jogar tudo pro ar.

Mas, não jogaram! Arrumaram emprego, casaram, formaram uma família. E passaram a serem pessoas preocupadas com a roupa, com a educação e com o lazer e bem-estar dos filhos. Ao passo que muitos deles ignoram os sonhos dos pais: sendo fúteis, tolos e absurdamente ingratos.

Alarmante realidade que vem assolando a sociedade cada vez mais.

E como nossos pais jamais imaginariam…

 

Priscilla Porto

 

Contato: priscillaporto@gmail.com

Autora dos livros “As verdades que as mulheres não contam” e “Para alguém que amo – mensagens para uma pessoa especial”.