“Jogo da baleia azul” de automutilação e morte chega a região de Muriaé

0
2880

A Polícia Civil de Leopoldina registrou uma ocorrência na quarta-feira (13) referente a um suposto jogo de incentivo ao suicídio – o desafio da Baleia Azul. A mãe de um jovem procurou a polícia e disse que seu filho já teria realizado “tarefas” de automutilação. O caso será investigado para apurar quem iniciou o grupo que incentiva o “jogo”.
O desafio da Baleia Azul vem sendo apresentado a crianças, adolescentes e jovens através de grupos nas redes sociais (principalmente Facebook e WhatsApp). “É um jogo russo […] são 50 desafios, você começa ouvindo músicas psicodélicas e o instrutor só te libera para dar início ao jogo às 4:20 da manhã… o último desafio de número 50 é tirar a própria vida, dando aí fim ao jogo”, diz uma das mensagens que apresenta o desafio. São 50 desafios de graus variáveis de dificuldade, como tirar uma fotografia assistindo a um filme de terror, se filmar no alto de um edifício e até mesmo se cortar tentando desenhar uma baleia no braço com uma lâmina de barbear quebrada.
Em Minas Gerais, um jovem de 19 anos teria sido a primeira vítima do “jogo”. Ele foi encontrado morto em Pará de Minas, na Região Central do estado, na quarta-feira (12). Gabriel Antônio dos Santos Cabral era casado e tinha uma filha de 40 dias. Segundo reportagem do Estado de Minas, Gabriel vinha tentando deixar o grupo, mas sofria uma pressão muito grande e nos últimos dias vinha agindo de forma estranha. No local onde o corpo foi encontrado, foram localizadas cinco cartelas vazias de um antidepressivo. A suspeita é de que ele tenha ingerido dezenas de comprimidos na noite anterior. A Polícia Civil já está investigado o caso. O celular dele foi apreendido e constatado que o grupo em que ele participava continha participantes de todos os estados do Brasil, com idades entre 10 e 20 anos.
Um oficial da Polícia Militar do Estado da Paraíba já havia feito um alerta aos pais de estudantes de João Pessoa sobre o “jogo”:
As denúncias em João Pessoa começaram a chegar no último domingo (9).
Instigar uma pessoa ao suicídio é crime, passível de pena de dois a seis anos de prisão
Fonte: Guia Muriaé