Acusado de estupro é morto a pauladas e pedradas

0
3066

Acusado de estuprar a cunhada, Gilmar Ferreira, 42 anos, foi morto a pauladas e pedradas por um grupo de pessoas no distrito de Vilanova, em Manhuaçu, na noite desta sexta-feira, 23/12.

Segundo a Polícia Militar, foram acionados para atender uma ocorrência de quebra de medida protetiva. A ex-mulher de Gilmar havia ligado para a PM solicitando apoio, já que o homem estava na porta de sua casa, importunando-a, por volta de 23 horas. Houve uma ordem expedida pelo Juiz Maurício Bandeira de Melo para que não se aproximasse dela.


Quando chegaram ao distrito, policiais foram informados que um grupo de pessoas agrediu e matou Gilmar Ferreira com pedaços de pau e pedras. Eles tiveram conhecimento da série de vezes que estuprou a cunhada – uma adolescente.

O local foi preservado até a chegada da perícia da Polícia Civil. Agressores não foram identificados.

SEPARAÇÃO

A PM foi até a casa onde a ex-esposa estava. Ela disse que acionou o 190 tendo em vista a presença de Gilmar. Ele tentava entrar na casa, que é cercada por um muro alto e tem cães no quintal.

Gilmar foi preso em novembro, acusado de estupro da cunhada dele. Ainda usava uma arma e ameaçava os familiares. Segundo a ex-esposa, ela se separou dele após saber dos fatos e passou a residir com os pais em Vilanova, mas o homem continuava a incomodá-la, alegando que queria visitar os dois filhos especiais.

A mulher conseguiu uma medida protetiva depois que ele saiu da cadeia, após pagar fiança. Só que desde então, passou a incomodá-la.

PRISÃO

Conforme reportagem publicada pelo Portal Caparáo, Gilmar foi preso no Córrego São Roque, em Santo Amaro de Minas, na manhã de sexta-feira, 25/11. Ele era acusado de estuprar a cunhada de 15 anos.

Policiais Militares receberam denúncia dando conta de que o lavrador possui uma garrucha e que, por várias vezes, usa a arma para ameaçar e estuprar sua cunhada. A informação é de que o denunciado utiliza-se de violência física e grave ameaça durante os estupros, apontando a arma contra a cabeça da vítima para não reagir.

A arma de fogo foi encontrada no porta-luvas do carro do suspeito. Ele foi encontrado numa estrada vicinal perto da propriedade.

A jovem foi localizada pelos militares e confirmou que, há três meses, vem sendo ameaçada e foi estuprada por três vezes pelo cunhado. Ela confirmou que o homem aponta a garrucha para sua cabeça e que a última vez foi no aniversário dela.

Segundo a vítima, o cunhado fez fotos dela nua e, todas as vezes que ele queria estuprá-la, ameaçava publicar na internet, caso ela contasse para alguém ou não aceitasse manter relação sexual com ele.

Além disso, o homem obrigava a jovem a tomar comprimidos de anticoncepcional. Uma cartela do medicamento foi encontrada no carro dele.

O lavrador foi encaminhado para a delegacia de Polícia Civil.