Cortejo afro encerrou as atividades da Semana da Consciência Negra em Ponte Nova

0
195

As atividades da Semana da Consciência Negra foram encerradas nesse domingo (27/11) com a realização do cortejo afro contra a intolerância religiosa. Integrantes de movimentos negros, de religiões de matriz africana, estudantes e simpatizantes se concentraram no Centro Histórico e saíram em caminhada até o bairro Vila Alvarenga, onde funciona a sede do Ilé Axé Ijí Yaba Lomima.

A Semana da Consciência Negra teve início com a missa afro na capela do bairro de Fátima em 20/11, Dia da Consciência Negra, data que celebra a morte de Zumbi dos Palmares, o último dos líderes do Quilombo dos Palmares, o maior dos quilombos do período colonial.


Durante o cortejo afro foram exibidos cartazes pedindo por mais tolerância e pelo fim do preconceito. “O cortejo é uma forma de darmos visibilidade aos grupos afro e às religiões de matriz africana, como a Umbanda e o Candomblé. É preciso ampliarmos a visão das pessoas para a diversidade. Só assim a intolerância religiosa será combatida. Essa é a ideia do evento: ocupar a cidade com as diferentes manifestações”, disse o secretário de Cultura e Turismo Emerson de Paula.

Após o cortejo, os participantes assistiram ao ritual “Olubaje – Omolu”,  feito em casas de Candomblé. Olubajé é o ritual especifico para o orixá Obaluayê, indispensável nos terreiros de candomblé, no sentido de prolongar a vida e trazer saúde a todos os filhos e participantes do axé. “A Semana da Consciência Negra se tornou um evento oficial do calendário de atividades do município. A gente espera que nos próximos anos essas ações sejam mantidas, que as discussões e os debates continuem acontecendo e que a diversidade seja uma pauta constante. Isso não pode acabar”, concluiu o secretário.