Vivi Romagnoli: Coração involuntário

0
128

Há quem diga que todos possuem um coração involuntário. Há também quem o chame de válvula propulsora do amor. São tantos atributos direcionados a um órgão tão eficaz na arte de amar e de viver. A questão se dá quando o mesmo indica caminhos que são doídos e complexos. Caminhos que levam ao amadurecimento da realidade escondida ou da dor não revelada. O que dizer de um coração sonhador e feliz? O mesmo que talvez não saiba expressar tão bem o que sentimos ou vivemos, mas que anseia por um ardor de liberdade e um parecer sem fim. Ao mesmo tempo tudo isso parece tão simples, mas somente quem tem um coração involuntário sabe a dor e o prazer de ser quem é. Fiquemos então com o pulsar sereno e esperançoso de dias melhores; para então ouvirmos com nitidez as batidas e chamamentos para um novo despertar.